Transas responde

Desde de 1999, o Grupo Transas do Corpo tem um serviço de perguntas e respostas via e-mail. As dúvidas surgem de pessoas de idade e sexo diferentes e com experiências diversificadas. As respostas são encaminhadas em no máximo cinco dias úteis. Preencha os dados do formulário abaixo e envie sua pergunta.



  •  
  • Eu também tenho uma grande dúvida, pois só consigo me masturbar pensando em homens, então eu sou gay?

  • Transas respondeSobre suas fantasias sexuais, na sua idade, é difícil caracterizar uma identidade erótica ou orientação de preferência pelo mesmo sexo ou pelo outro sexo. Como você mesmo se sente? Já experimentou algo para além de fantasias? Como se sente em relação a estas fantasias sexuais? Você tem algum ou alguma amigo/a gay? O que sabe sobre o mundo, a vida, os amores, etc, das pessoas gays? Como se sente em relação a elas? Como vê, podemos apenas ir conversando e pensando no assunto, mas é fundamental que, antes de qualquer tentativa definidora do que você é em termos de preferência erótica (o que SOMOS vai muito além de nossas práticas sexuais), experimente indagar dentro de você mesmo que siginificados você dá a estas experiências. Se puder conversar com alguma pessoa querida e com capacidade de compreender o que você sente ou vive, tente. Se precisar, entre em contato novamente.

  •  
  • O que é feminismo?

  • Transas respondeEstá nos dicionários: feminismo é a crença no princípio que diz que as mulheres devem ter os mesmos direitos (civil, legal, sexual, político, cultural, econômico, social, etc.) que os homens, e é o movimento daqueles/as que lutam por essa causa. Apesar de outras lutas bem mais antigas, o movimento feminista brasileiro inicia-se com a luta pelo direito ao voto no final do século XIX. No decorrer da nossa história, os debates sobre as mulheres, sua opressão, sua cidadania, as formas de sua exclusão social, têm orientado estudos e levantado importantes questões. Feministas do mundo inteiro vêm tentando resgatar o papel histórico de mulheres. No Brasil, a iniciativa mais recente é a publicação do Dicionário "Mulheres do Brasil", por Schuma Schumaher (Zahar Editores, 2000). O movimento feminista tem suas formas próprias de organização e tem se caracterizado sobretudo pela sua autonomia, pela articulação através de redes não hierarquizadas. Hoje, sua expressão política e cultural é matizada pela existência de diversos grupos que se formam a partir de interesses comuns que podem ter múltiplas interfaces, tais como negras, lésbicas, intelectuais, trabalhadoras rurais, do movimento popular, etc.

  •  
  • As mulheres que queimaram os sutiãs em praça pública eram inglesas? Foi em 1968? Em que praça?

  • Transas respondeA "queima do sutiã" aconteceu no final da década de 1960 (acho que é 1968), nos EUA (acho que é Atlantic City), por iniciativa de grupos feminstas mais ou menos radicais, dentre as quais Shulamith Firestone, para que as mulheres comparecessem em local público, trazendo coisas que simbolizassem a opressão. Daí que o sutiã foi a peça que se tornou símbolo, mas havia outras, certamente. Vale a pena conhecer a produção das radicais dos anos 60/70, especialmente Firestone e Kate Millet. Para elas, o sutiã representava uma prisão, uma camisa-de-força, a organização social que enquadra a mulher de uma maneira e o homem de outra. A simbologia é essa, vamos queimar a camisa-de-força da organização social que aprisiona a mulher. Um livro já havia sido escrito nos EUA por uma feminista que ficou mundialmente famosa: Betty Friedan e seu livro "The Feminine Mystique" (A mística Feminina). Todas elas, é claro, estavam inspiradas pela obra pioneira da francesa Simone de Beauvoir que escreveu "O Segundo Sexo". Procure ler o manifesto das radicais: www.redstockings.org

  •  
  • Tanto se fala que o melhor modo de evitar a AIDS é usando a camisinha que eu fico pensando no seguinte: e o resto de uma relação sexual? E o sexo oral (mesmo que não vaginal) e os beijos "ardentes" (diz-se que com beijos "sociais" não se pega AIDS). E acariciar a vagina? A quantidade de sucos segregados é grande.... Qual é a minha chance de pegar AIDS? É obvio que no coito eu me protejo e a ela colocando camisinha, MAS E O RESTO???

  • Transas respondeO foco da prevenção ser no uso da camisinha tem a ver com a forma de contaminação. Para que haja contaminação é necessário esclarecer quais são as formas de uma pessoa se contaminar. Pelo visto você já sabe que o HIV é encontrado na maioria dos líquidos do corpo, mas é só infeccioso no sangue, sêmem (esperma) e secreções vaginais (líquido que molha a vagina e sangue da menstruação) e leite materno. O que é preciso saber é que para haver a contaminação é preciso haver o contato da secreção infectada com uma porta de entrada (mucosas que tenham feridas por exemplo, e é no coito que estes dois ingredientes se encontram com maior possibilidade de contágio. No que se refere a relação sexual, existe uma hierarquia das práticas com maior risco, sendo que a prática anal sem camisinha é a mais perigosa. Em relação ao sexo oral, o que sabemos é que a transmissão é possível já que ele está presente no esperma e nos líquidos vaginais, e pode entrar no organismo através da mucosa da boca e da garganta, sendo que o risco aumenta se tiver ferimentos nessas áreas. No entanto, este é o relacionamento que oferece menor risco de contaminação porque as mucosas da boca e da garganta têm uma capacidade pequena de absorção e as enzimas e anticorpos que trabalham nessas áreas têm o poder de enfraquecer o vírus. Mas para reduzir o risco a zero só mesmo cortando uma camisinha e estabelecendo uma barreira de proteção, assim efetivamente cortaria a cadeia de transmissão, ou fazer a testagem para ficar mais tranqüilo. Já a masturbação ou carinho na vagina é considerada prática de sexo mais seguro. Portanto é continuar usando camisinha nas relações que haja penetração é regra que não pode ser quebrada, e ser criativo e responsável nas outras práticas.

  •  
  • Estou namorando um moço há pouco tempo. Ocorre, que ele evita me beijar no rosto ou na boca. Parece que não gosta. Minha dúvida é, seu comportamento diz que ele me acha vulgar ou é possível um outro motivo?

  • Transas respondeO beijo é, para muitas pessoas, sinal de profundo grau de intimidade. Para muitos é fonte de grande prazer e é solicitado como carícia fundamental desde os primeiros contatos. Para outros, por razões diversas e bastante pessoais, não causa o mesmo prazer. É importante conversar abertamente sobre estas preferências, caso contrário, dá margem a interpretações que podem não ter nada a ver com a realidade. O beijo na boca é um tipo de carícia que pode ser bastante evasivo para algumas pessoas logo de início, portanto, pergunte ao seu parceiro o que acontece no caso dele. É o melhor caminho. Você sabia que para algumas culturas o beijo na boca sequer existe? Entre os índios, por exemplo, parece ser bastante incomum. Vale a pena mesmo pensar e conversar sobre isto. Se para você é uma carícia importante e fundamental como preliminar para outros contatos, trate de esclarecer isto logo no começo prá evitar cobranças e desentendimentos mais tarde.

Transas responde

Tem dúvidas? Converse com outras pessoas, troque experiências, discuta suas inquietações.

Pergunte!